Atos de vandalismo contra monumentos públicos é recorrente

  • pichacao 1
  • pichacao 2
  • pichacao 3
Localizados nas praças da cidade, os bustos e monumentos históricos tem o objetivo de homenagear figuras ilustres ou contar a história de uma região. Entretanto, os recorrentes atos de vandalismo contra o patrimônio público acabam ofuscando sua real finalidade e dando lugar a gastos para sua limpeza.
A Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, trabalhando em parceria com a Clin, realiza a limpeza destes monumentos e bustos sempre que ocorrem pichações. Apenas neste ano, 12 locais já foram limpos, tendo sido dois recorrentes: O busto de Dom Pedro II, fixado na Praça Leoni Ramos, em São Domingos, vandalizado por seis vezes em menos de um ano; e a estátua de Juscelino Kubitscheck e Oscar Niemeyer, localizada na Praça JK, no Centro, pichada por duas vezes.
“Em primeiro lugar é necessário que a população se conscientize. Os monumentos históricos são posse dos moradores. A cada ato de vandalismo, quem paga é a própria população”, alertou a secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa.
O custo da limpeza de cada monumento fica em torno de R$500, além do deslocamento de funcionários e equipamentos. Para cada tipo de remoção é utilizado um produto especial que facilita a limpeza e cria uma película protetora, dificultando a absorção do material utilizado em uma nova pichação.
Além da limpeza, está sendo realizado pela Seconser, em parceria com a Fundação de Artes de Niterói, um levantamento dos bustos e monumentos para que sejam resgatadas estátuas em piores condições e repostas placas de bronze, em caso de furto.